segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Enquanto todos desejam a chegada do ano novo, eu peço pela volta dos velhos

Eu não sei seguir em frente, viver de passado é a única maneira que eu sei viver, os anos vão se passando e eu me sinto presa no mesmo lugar, sentindo saudade das mesmas coisas, desistindo de procurar o novo, de esperar por mudanças, desacreditando que tudo um dia irá ficar bem. Sabe aquela palavrinha que dizem por ai, todo final de ano? Aquela chamada esperança? Procurei ela no meu velho dicionario encostado na estante e a página estava rasgada. Cômico. A vida vem rindo de mim, rindo da garotinha que pensa estar na terra do nunca, se recusando a crescer, que se tortura com as todas as lembranças más. Só que eu não tenho mais a inocência de uma garotinha, pois sinto ódio e o ódio nunca foi e nunca será o sentimento mais bonito. Também não sei ser bonita, eu não sei ser alguém melhor,  regredi e desaprendi a conviver com outros seres da mesma especie, me desadaptei à vida em sociedade. Esqueci de ser feliz e nem me importe, na verdade eu não sei ser feliz, e nunca quis aprender, não suporto perdas e eu sei que se tudo ficar bem, logo em seguida tudo ficara mal, tem sido assim desde o inicio então prefiro ficar na mesma, prefiro ficar aqui sozinha, como todos os pensamentos antigos, com a insensatez de desejar todos os dias voltar no tempo.

sábado, 22 de dezembro de 2012

a mágica virou tragédia


Eu chorei. Lutei noites inteiras contra mim mesma na tentativa de te tirar da minha cabeça. Agora é como se todas aquelas lágrimas que derramei tivessem mesmo te drenado daqui de dentro, você saiu e deixou um vazio enorme que foi preenchido com ódio, não é ódio de você, mas de tudo que eu aceitei para continuar a viver contigo. Depois de quatros anos eu finalmente senti sinceridade nos seus pedidos de desculpas, uma sinceridade da qual não existe mais em mim, você consegue enxergar o que a sua maldade me causou? Você se divertiu? Porque eu ainda sinto a dor de todas as coisas ruins que você já me fez.
Você vive dizendo que vai fazer de tudo para não me perder, mas meu amor, você já me perdeu. Quando eu procuro dentro de mim, algum resto seu que seja bom, eu não encontro nada em que eu possa me agarrar, que me faça te aceitar de volta por completo, não tem como consertar pedaços, quando  tudo desmoronou. Mesmo que ainda existam tentativas, você não pode negar que já perdemos a luta.
Como posso confiar em você novamente? Sendo que você não consegue segurar as suas próprias mãos.

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Eu quis ir te ver, dizer que sinto muito pela morte do seu pai, estender minhas mãos para você chorar, mas lembrei que outra pessoa já estaria fazendo isso por você, minha presença seria inútil, você não precisa de mim e nunca precisou, por mais que o momento seja difícil não sou quem vai estar com você quando precisar desabafar e passar noites soluçando contigo. Também não fui por motivos pessoais, odeio velórios, eles me despertam os piores dos sentimentos, e também porque não saberia o que dizer, poderia optar pelas mais variadas frases clichês; ''Ele está em algum lugar melhor'', ''Deus sabe o que faz'', mas como você sabe eu nunca fui religiosa, não acredito nisso de céu e inferno, mas acredito que morrer deve ser menos doloroso do que viver sofrendo. Tenho certeza que minhas palavras não te ajudariam, assim como não ajudaram quando ele estava doente, nunca te disse para ter fé, esperanças ou algo do tipo, já fui mais realista, não foi por frieza mas é que eu sempre quis que você fosse forte, e ainda quero mesmo não te procurando para dizer tudo isso. Não sei ainda me lê, provavelmente não, pois eu já sai da sua vida faz tanto tempo, mas se algum dia alguma coisa te trouxer aqui, quero que sabia que eu sinto muito e que eu espero que você já esteja bem.

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Eu ainda não aprendi a fugir das coisa internas

Quase não venho escrevendo, pois isso já deixou de me confortar, onde antigamente era meu único remédio, hoje já não me faz efeito, escrever já não faz tudo parar de arder, escrever agora me dói, pois me faz lembrar de como eu era antes, meus livros estão todos encostados na estante cobertos de poeira, alguns nem foram folheados, eu deixei de lado pois diziam que aquelas histórias estavam me fazendo criar fantasias mirabolantes e que aquilo tudo me fazia mal. Eu venho me privando de sentir dor, eu venho me negando a sofrer, toda vez que eu engulo um choro minhas amídalas parecem arrebentar, e toda vez que eu seguro um grito minha cabeça parece explodir, lembro que quando eu era criança e tinha crises de choro porque não queria ir para aula, minha mãe fazia pra mim salada de fruta com bastante calda de chocolate, mas agora nem todas as frutas, nem toda calda de chocolate do mundo vão fazer tudo melhorar, porque não é mais na aula que eu não quero ir, é a vida que eu não quero mais enfrentar. A vida me esmaga, me mastiga com força e me cospe fora, e eu me torno o bagaço que nem a vida conseguiu engolir.
Alguma coisa estranha aconteceu, não lembro quando e nem como, mas parece que todos os meus sentimentos foram intensificados, eu sinto tudo e tudo me dói, eu pego essas coisas ruins e guardo, mas essas ''coisas'' me corroem, me matam da pior forma, aos pouco, me apodrecem por dentro sem soltar nem um odor, é tudo tão silêncio. Eu perdi a noção do que eu falo, do que eu penso, na verdade eu penso tudo e de uma vez só.
Talvez eu esteja enlouquecendo sem que ninguém perceba, talvez sou eu quem não deixo que ninguém veja, talvez seja só drama, talvez seja só mais uma das minhas mil neurose, mas tudo isso não é enlouquecer? Talvez devessem me prender em algum lugar, antes que eu solte todo esse choro e os gritos, antes que eu resolva soltar toda essa neurose e queira bater nas pessoas. Enquanto escrevo isto, minha mãe está la na cozinha, mas já veio aqui duas ou três vezes, me trouxe uma fatia de manga, disse que as coisas ruins são como ondas, mas que eu sou um barco forte, depois voltou e perguntou se eu estava melhor, sinto que ela teme que essa turvação me tome de vez e eu me perca pra sempre. Eu também tenho medo, pois já não me reconheço.

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Eu não sei dizer, só sei sentir

Então eu sentei em uma praça qualquer, com algumas pessoas ao redor, pois não queria ficar sozinha e chorei baixinho torcendo para ninguém olhar ou perceber, é contraditório, eu sei, chorar em um lugar lotado e não querer que ninguém olhe, mas eu continuei ali quase me sufocando quando a vontade era de desmoronar, tentando engolir o choro quando a vontade era de gritar, e gritar, e chamar o estranho ao lado e perguntar: - Você consegue ver além desses olhos inchados, que eu não estou bem? Você notou que as minhas olheiras são devidas a tantas noites perturbadas. Mas não fiz isso, sei que o estranho não entenderia assim como os conhecido não entendem, assim como eu mesma não entendo que coisa essa que faz quase tudo me machucar. Ao mesmo tempo que eu me sinto uma pessoa tão ruim, eu acho o mundo cruel demais para mim, eu já não me sinto bem em lugar nenhum e todas as pessoas parecem magoar, mesmo não magoando.

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Por alguns instantes você pareceu se importar

Eu estava sentada sozinha, encostada em uma parede estranha, em algum lugar que eu não conheço, eu estava distante, mas ainda ouvia as vozes dos nossos amigos conversando um pouco longe dali, eu bebia alguma coisa que não consigo me lembrar o que era, quando de repente você apareceu vestindo seu uniforme de trabalho, aquela blusa azul que eu gostava tanto, com vários símbolos de bebidas que eu ficava contornando com o dedo, se agachou diante de mim e ficou me olhando, perguntou porque eu estava chorando, olhei para baixo e não respondi, então você  colocou a mão embaixo do meu queixo erguendo minha cabeça devagar e continuou olhando pra mim, eu te ofereci uma bebida mas meu copo já estava vazio, então levantei do chão, te puxei pelo braço e saímos correndo até um freezer que estava próximo, você ria alto, talvez ria de mim ou ria porque estava feliz, eu abri o freezer à procura de alguma cerveja, porque você não bebe outra coisa mas não encontrei, achei uma garrafa de vodka  e outra de vinho, perguntei se aquelas bebidas serviam e você disse sorrindo que tudo bem. Até que o telefone tocou, era minha  mãe pedindo desculpas por me acordar, mas tinha esquecido a chave do portão.

terça-feira, 18 de setembro de 2012

Deixa tudo continuar aqui escondido

Tentei escrever diversas vezes sobre o mesmo assunto e mal saiu uma linha, é que não há conjuntos de letras suficientes para descrever tanto atordoamento, às vezes eu tenho vontade de vomitar palavras, então enfio o dedo na garganta e desisto, engulo tudo de volta, falar para quê? Tanto faz, eu até acho que já falei demais, então me calo mais uma vez, falar sobre sentimentos não me faz bem. Quando me vem a vontade de chorar eu olho para cima e fico com os olhos abertos até sentir as minhas córneas arderem por já estarem secas, é que eu sei que se cair uma gota eu vou transbordar e passar horas chorando, conviver com o choro e palavras na garganta é fácil, o difícil é sentir o peito quase explodir quando leio o seu nome em algum lugar, ou alguém fala sobre você.
Fico relembrando conversas, procurando coisas que não deveriam ser ditas, fico tentando entender o erro, talvez se você tivesse me ouvido direito e acreditado em mim, ou se talvez eu tivesse me empenhado em demonstrar melhor tudo o que eu queria, mas na verdade tudo isso não se passam de desculpas que eu encontro para não encarar a realidade, você nunca poderia gostar de mim, eu tenho a cabeça e o coração estragados, eu sou um poço de defeitos, cheia de dramas antigos, eu sou tudo que há de ruim encapado em forma humana, pois é, apesar de ser esse mal elemento, eu ainda sou humana e me machuco, disfarço minha fragilidade com frieza, não demostro o que sinto, porque sinto coisas demais, eu sinto todas as dores do mundo em um espaço tão pequeno, eu preciso esmagar tudo para caber dentro de mim, acho que exatamente por isso que eu não consigo falar, porque esta tudo surrado dentro do peito que quer explodir. Eu preciso entender de uma vez que você nunca iria querer carregar um baú de problemas, sendo que você tinha alguém melhor esperando você cansar de brincar de quase amor comigo e voltar. É você cansou.

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Se quiser ficar, eu deixo

Me deixou no portão de casa, me deu um beijo e disse boa noite. Eu virei as costas, entrei pra dentro de casa e pensei baixinho: Puta que paril, ferrou. Eu já não sei se é real ou fruto da minha imaginação, só sei que comecei a sorrir quando ele me chama e eu saio pra fora e vejo ele sentado de cabeça baixa na calçada, só sei que não sei mais ficar longe. Então eu penso mais uma vez: Que se foda! Eu não vou deixar mais uma vez alguém ir embora só por causa dos meus medos.

Substitui você por uma xícara de café

Então assistirei sua vida em fotos assim como eu observava você dormir. Eu sentirei você me esquecer como eu costumava sentir você respirar. Eu continuarei a sair com os nossos velhos amigos, só pra perguntar como você está. Eu esperei o sol brilhar, está um dia lindo e algumas coisas me lembram você. Você desejaria ter ficado, e eu nunca planejei fazer você chorar, mais se ficasse estaria a vivendo uma mentira.

 [Taylor Swift]

 Fui obrigada a me lembrar de você quando acabaram as folhas do meu caderno, peguei outro, abri ele na metade e tinha um recado seu, todas as outras folhas em branco e apenas uma escrita em vermelho, era um pedido de desculpas e é claro que era seu, eu jamais esqueceria a tua caligrafia, você sempre deixou um espaço exagerado entre uma letra e outra, não tão grande quanto o espaço que você deixou em mim, mas isso realmente não importa pois eu tenho me recuperado. Confesso que às vezes ainda é difícil, quando eu fico sozinha em casa eu sempre tenho a impressão que você vai aparecer de surpresa na porta do quarto assim como você fazia antes, porque você achava engraçado me assustar, isso de certa forma deixou de ser engraçado, agora me causa medo, porque a ultima vez que você esteve aqui as coisas não terminaram bem. Só sei que não consigo mais ficar em casa sozinha porque você nunca me deixou isso acontecer, tinha medo que eu colocasse fogo nas coisas, igual aquela vez que quase coloquei fogo no chuveiro e você teve que consertar, é eu sempre fui desastrada e você sempre dizia que tudo que eu relava quebrava, menos você. Pois é, também não consigo mais dormir, acho que me acostumei com você todas as noites sentado na cabeceira da cama esperando eu dormir, e isso não demorava muito, naquela época era só eu deitar que eu já dormia, algumas vezes eu fingi dormir só para poder ver você apagando a luz e te ouvir dizer boa noite para minha mãe. Em uma medida desesperada para conseguir dormir, eu troquei o meu colchão, troquei alguns moveis do lugar, apaguei seu nome das paredes, mas não adiantou, dormir se tornou torturante.

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Quando tá tudo indo bem, eu sempre tenho a sensação de que alguma coisa, no fundo, tá muito errada.
Sei lá, é como se um relacionamento saudável fosse impossível no meio dessa merda toda, e quando eu não posso ver os erros, eu fico com essa certeza de que estou sendo enganada. E fico procurando, investigando, revirando o mundo pra encontrar os vacilos, mentiras, motivos pra terminar. Percebe a loucura? É como se ninguém pudesse me amar e ponto, de tanto colarem o adesivo de ‘trouxa’ na minha testa, qualquer carinho me parece suspeito. Percebe a tortura? Fico oscilando entre confiar e desconfiar, querendo viver uma história leve e sempre me afundando nas minhas neuroses e cicatrizes. E homem nenhum aguenta isso, homem nenhum percorre meu labirinto até o fim. Mas como eu poderia me entregar, sem antes saber se posso ir inteira? Como posso confiar de novo, sem saber se vai ser realmente diferente? Quero alguém que rompa meus lacres, não que me lacre mais! E sigo estragando tudo, só pra não ficar pior depois. Quando eles finalmente se cansam e caem fora porque eu sou louca de pedra, eu fico satisfeita. Volto pra fossa por um tempo, sem mistérios, já conheço bem o lugar e a porta de saída. E penso “Viu, sabia que eu tava certa”. Talvez eu até esteja errada, mas que se dane. Se uma pessoa não tem paciência nem pra conquistar minha confiança e afastar meus medos, o que eu posso esperar então? Sou quebra-cabeça de 500 mil peças, quem não tiver capacidade, tenta um jogo mais fácil. Eu supero e agradeço.

[Tati B.]

É exatamente assim ://

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Não adianta fugir, faz parte de mim

Ela apareceu assim do nada, estava linda e parecia brilhar, eu não pude impedir que meus dedos a puxassem para perto.

Seis meses de pele e roupas limpas foi tudo que eu consegui resistir, eu já tinha me esquecido de como era a sensação de alivio que aquilo me causava, já tinha me esquecido de como é sentir aquele medo intenso se espalhando por mim, fazendo cada centímetro do meu corpo tremer, essa é a parte que eu mais gosto, o medo faz com que eu ainda me sinta viva. Eu precisava desaparecer de dentro de mim pois tudo ali parecia congelar, eu só queria um choque de realidade, saber se eu ainda era capaz de sangrar, necessitava sentir algo forte o suficiente, Eu me rendi a dor e diferente das outras vezes eu não senti nenhuma culpa.

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Eu cuido de você e você cuida de mim, somos amigos, certo?

Não podemos ficar juntos e acho que nem queremos, já nos feriram demais, por isso não nos apegamos um ao outro. Nos abraçamos antes de você ir embora de casa, mas isso é normal não é? Amigos também dão abraços de despedida, exceto aquele dia que você me deu um beijo antes de ir, mas foi um ato sem pensar, foi por impulso. E você sempre que chega na sua casa me manda um sms dizendo que já chegou, faz algum comentário safado e de vez em quando deixar escapar algumas palavras de carinho, logo em seguida diz boa noite. Mas não tem nada de mais, amigos também fazem isso. Apesar de todo esse combinado de não se apegar e de ter um relacionamento apenas carnal, também sabemos fingir ser um quase casal, quando ficamos de mãos dadas, ou quando assistimos tv abraçados, ou quando você me puxa pelo braço e coloca minhas mãos em volta do seu pescoço, mas isso não dura muito tempo, eu ou você toma consciência e solta um do outro e voltamos pra realidade, aquela onde somos apenas amigos.Você fica falando sobre as meninas que você diz enrolar, e eu fico te ensinando como manipular alguém até se conseguir o que quer, até que você parece ficar com ciumes e começa a fazer perguntas de mais, do mesmo jeito que você parece ficar com ciumes quando eu fico na internet falando com alguém, com você do meu lado, e você diz que quer ir embora ou tira a minha mão do teclado e e digita um monte de letras todas juntas, formando palavras sem sentidos. É o mesmo jeito que eu pareço ficar com ciumes quando você fica trocando sms com alguém, ou quando alguma menina que você enrola te liga e você manda eu ficar em silêncio, então eu ligo o liquidificador na potencia alta, só pra ela saber que você não está sozinho, só parece ciumes, mas a verdade é que a gente gosta de irritar um ao outro.
Eu deito no seu peito, o seu coração parece acelerar, então eu te explico sobre o sistema cardíaco e depois eu fico comparando as pintinhas do seu peito com constelações e procurando algum signo do zodíaco, até que eu encontro libra e você me faz pegar o meu atlas só pra te provar que é verdade, então eu te mostro e você ri dizendo que ama as estrelas. Vamos ouvir musica e você começa a me explicar coisas como tons de notas e solos de guitarra e eu fico sem entender nada mais continuo te olhando, você percebe e diz: até que enfim encontrei algo que você não sabe.
Aquele dia que estávamos sentados na calçada da minha casa, você disse que estava feliz, mas que ainda faltava algo. Eu fique com vontade de falar: falta eu. A gente se dá tão bem, só você que ainda não percebeu porque você insiste em dizer que eu combino com o seu amigo, e eu comecei a achar que você tem razão, mas eu não me importo pois eu não quero combinar com você, pois essa coisa de amor, ferra com tudo e o que temos é muito mais do que amor, não há expectativas, não há dor, porque só somos amigos. 

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Te deixo ir, pois meu caminho não é mais o mesmo que o seu

Aquilo que te traz de volta é o mesmo que te leva para longe de mim todas as vezes que você ameaça voltar para a minha vida, digo ''aquilo'' porque não sei que nome dar para essa sua indecisão. Hoje eu parei para pensar sobre sobre você e acabei chegando a uma conclusão, não importa o que eu diga, você nunca vai voltar, e sabe por que? Porque você não quer. Você nunca quis, eu não vou te forçar a gostar de mim, porque eu não sei viver de migalhas, se não for para vir inteiro, então é melhor que não venha.
De repente eu enxerguei, percebi que eu deixaria qualquer coisa por você, e você nunca foi capaz de deixar ninguém por mim, notei também que sei tanto sobre você e você não sabe nada sobre mim, você nunca me conheceu, você nunca me viu chorar, você nem mesmo sabe que todas as vezes que eu te liguei, eu estava chorando e você nunca sequer me ligou de volta.
Eu queria mesmo que nós dessemos certo, eu queria curar você de todos os seus medos, mas eu não posso mais tentar, existem coisas ruins dentro de mim que também precisam ser curadas, eu não posso mais assumir suas dores, quando você não é capaz nem de perguntar se eu estou bem, eu sei que eu disse que não iria desistir, e que iria te esperar por toda vida, mas o tempo parece passar muito devagar quando esperamos o que mais queremos. Preciso te deixar, mesmo você não sendo meu, mesmo eu não interferindo em nada na sua vida, eu preciso te deixar em paz, vou te deixar ir embora mais uma vez sem mim, porque eu preciso me encontrar, eu preciso achar outro lugar onde eu me sinta bem e esse lugar não pode ser mais ao seu lado.

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Seu jeito de falar sem pensar me machuca


Falei para ele sobre alguém. Então ele disse: - Vocês formariam um belo casal. Segurei uma lagrima, engoli seco e dei de ombros. Ele não tem ideia do quanto eu tive que ser forte nesse momento, ele não imagina as contrações que aquelas palavras causaram no meu estomago. Doeu saber que ele não se importaria nenhum pouco em ver com outra pessoa. Eu não quero formar um belo casal com outro, eu não quero formar um belo casal com mais ninguém, quero formar algo belo com você e não precisa nem ser um casal, só queria que pudéssemos ser algo.
Falei pouco durante o resto da noite, só respondia o que ele perguntava, até que recebi um sms e comecei a chorar, não sei se chorei pelas palavras bonitas ou se chorei porque não eram as suas palavras, então ele voltou a repetir: - Vocês formariam um belo casal. Dessa vez eu não consegui disfarçar direito, soltei do seu braço e ele pergunto o que eu tinha, não disse nada. Naquele momento eu quis cair aos prantos, e depois o socar até ele perceber o quanto as suas palavras me machucam. Não fiz nada, continuei ali do lado dele, olhando para frente e ele olhando para mim, ficamos assim por um tempo até que pedi que parece de me olhar, ele perguntou: - Por quê? A sua voz estava em tom um pouco mais baixo, respondi: Porque isso incomoda, então ele olhou para baixo e ficou fingindo mexer no celular. Não é o fato dele olhar para mim que incomoda, é o olhar dele, me olha como se quisesse me dizer alguma coisa, mas eu sei que não tem nada a ser dito.
Ele suspira diversas vezes eu quando eu pergunto o motivo, ele diz: Nada, são só coisas que passam na minha cabeça. Eu pergunto: - Que coisas? Na esperança de algumas dessas ''coisas'' terem haver comigo, mas ele não responde e da aquela risada que ele sempre da quando quer disfarçar algo, olha para o lado e coloca a mão no rosto. E quando eu falo que conheço todas as suas risadas, ele solta a risada que ele sempre da quando não quer responder, ele continua rindo enquanto eu contos sobre as suas varias faces, até que ele diz achar nunca ter rido tanto na vida dele do jeito que ri comigo, então ele me abraça e diz gostar de abraços. Eu queria que o meu abraço fosse o seu favorito. Ele me afasta devagar e diz que precisar ir embora, então ele se vai.

terça-feira, 31 de julho de 2012

Do sim que eu quero ter

- Preciso que você me queira. Preciso que a gente viva de uma vez que lá vem o mundo e tira você de mim pra sempre, tenho medo. Preciso que você me escolha. Não porque ela não te mereça como eu mas porque eu quero isso mais que tudo em mim. Eu quero muito que seja eu. Que me escolha logo! Que me ame no chão ou em qualquer lugar que seja fora da minha mente. Preciso que me ame ou me solte a mão. Porque não podendo vou recolher o que sobrar e me amar até alguém ocupar por merecimento o lugar que lhe ofereço.
Tremia de frio e medo e ansiedade, tentava mas não conseguia me lembrar da última vez que puxara e soltara o ar.
- Não vim destruir seu mundo. Vim pedir de uma vez que me devolva o controle do meu porque não me cabe mais viver de respirar fundo e esperar você se dar conta de que te espero. Você foi meu antes de qualquer outra, não quero te roubar, quero só conseguir ir em frente, entende? Não quero mais te esperar pra sempre. É agora amor. Você vem? Você pode vir e me dar sua mão pra gente sentar e rir de como foi infantil até aqui insistindo em manter distante nossos pés gelados? A gente pode só sentar e eu ter a liberdade de pousar minha cabeça no seu ombro e te ouvir dizer 'princesa' sem a angústia de ver nos seus olhos a falta de certeza de algo? Vem.

[Sucrilhos e Neuroses]

Hei, por mais que eu queria, não precisa me escolher se não é isso que você realmente quer, pois acho que o meu erro é esse, ficar esperando a sua boa vontade em vir falar comigo, esperar você ter a certeza que ela nunca vai ser eu, só que essa sua indecisão está me matando, se não vai me escolher, então me deixe seguir em frente, não venha mais me dizer aquelas coisas e depois simplesmente me deixar mais uma vez esperando você lembrar da minha existência, se não vai deixa-la então me deixe.

sábado, 28 de julho de 2012

De repente alguma coisa te traz de volta

Disse que sentia minha falta, eu duvidei. Disse que ficou com ciumes quando me viu passar com outro alguém, egoismo da sua parte sentir qualquer coisa próxima de ciumes, pois nunca pertencemos um ao outro e foi eu que tive que suportar ver você com pessoas diferentes durante esses anos que nos conhecemos, também tive que aguentar suas namoradas te afastando de mim por elas me odiarem, creio que todo esse ódio é porque elas sabem que na verdade nós nunca seguimos em frente. Eu nunca te pedi que fosse embora e você foi mesmo assim, você me pediu para que te esquecesse e quando perguntei se era isso mesmo que você queria você disse que não, e é nessa sua ultima resposta que eu me agarro.

sexta-feira, 27 de julho de 2012

Namore uma garota que lê



Namore uma garota que gasta seu dinheiro em livros, em vez de roupas. Ela também tem problemas com o espaço do armário, mas é só porque tem livros demais. Namore uma garota que tem uma lista de livros que quer ler e que possui seu cartão de biblioteca desde os doze anos.

Encontre uma garota que lê. Você sabe que ela lê porque ela sempre vai ter um livro não lido na bolsa. Ela é aquela que olha amorosamente para as prateleiras da livraria, a única que surta (ainda que em silêncio) quando encontra o livro que quer. Você está vendo uma garota estranha cheirar as páginas de um livro antigo em um sebo? Essa é a leitora. Nunca resiste a cheirar as páginas, especialmente quando ficaram amarelas.

Ela é a garota que lê enquanto espera em um Café na rua. Se você espiar sua xícara, verá que a espuma do leite ainda flutua por sobre a bebida, porque ela está absorta. Perdida em um mundo criador pelo autor. Sente-se. Se quiser ela pode vê-lo de relance, porque a maior parte das garotas que leem não gostam de ser interrompidas. Pergunte se ela está gostando do livro.

Compre para ela outra xícara de café. Diga o que realmente pensa sobre o Murakami. Descubra se ela foi além do primeiro capítulo da Irmandade. Entenda que, se ela diz que compreendeu o Ulisses de James Joyce, é só para parecer inteligente. Pergunte se ela gosta ou gostaria de ser a Alice.

É fácil namorar uma garota que lê. Ofereça livros no aniversário dela, no Natal e em comemorações de namoro. Ofereça o dom das palavras na poesia, na música. Ofereça Neruda, Sexton Pound, cummings. Deixe que ela saiba que você entende que as palavras são amor. Entenda que ela sabe a diferença entre os livros e a realidade mas, juro por Deus, ela vai tentar fazer com que a vida se pareça um pouco como seu livro favorito. E se ela conseguir não será por sua causa.

É que ela tem que arriscar, de alguma forma.

Minta. Se ela compreender sintaxe, vai perceber a sua necessidade de mentir. Por trás das palavras existem outras coisas: motivação, valor, nuance, diálogo. E isto nunca será o fim do mundo.

Trate de desiludi-la. Porque uma garota que lê sabe que o fracasso leva sempre ao clímax. Essas garotas sabem que todas as coisas chegam ao fim. E que sempre se pode escrever uma continuação. E que você pode começar outra vez e de novo, e continuar a ser o herói. E que na vida é preciso haver um vilão ou dois.

Por que ter medo de tudo o que você não é? As garotas que leem sabem que as pessoas, tal como as personagens, evoluem. Exceto as da série Crepúsculo.

Se você encontrar uma garota que leia, é melhor mantê-la por perto. Quando encontrá-la acordada às duas da manhã, chorando e apertando um livro contra o peito, prepare uma xícara de chá e abrace-a. Você pode perdê-la por um par de horas, mas ela sempre vai voltar para você. E falará como se as personagens do livro fossem reais – até porque, durante algum tempo, são mesmo.


Você tem de se declarar a ela em um balão de ar quente. Ou durante um show de rock. Ou, casualmente, na próxima vez que ela estiver doente. Ou pelo Skype.


Você vai sorrir tanto que acabará por se perguntar por que é que o seu coração ainda não explodiu e espalhou sangue por todo o peito. Vocês escreverão a história das suas vidas, terão crianças com nomes estranhos e gostos mais estranhos ainda. Ela vai apresentar os seus filhos ao Gato do Chapéu [Cat in the Hat] e a Aslam, talvez no mesmo dia. Vão atravessar juntos os invernos de suas velhices, e ela recitará Keats, num sussurro, enquanto você sacode a neve das botas.

Namore uma garota que lê porque você merece. Merece uma garota que pode te dar a vida mais colorida que você puder imaginar. Se você só puder oferecer-lhe monotonia, horas requentadas e propostas meia-boca, então estará melhor sozinho. Mas se quiser o mundo, e outros mundos além, namore uma garota que lê.

Ou, melhor ainda, namore uma garota que escreve.



[Date a girl who reads – Rosemary Urquico]

quarta-feira, 25 de julho de 2012

Mesmo longe eu sempre vou estar aqui pra te segurar


Hei amor, coloquei Coldplay pra tocar e te sentir mais perto, está tocando aquela música que você gosta que fala sobre um cara perdido que espera a luz se apagar, tão a sua cara essa música, pois esse é o seu único defeito, você desisti fácil. Tem medo de ir adiante e se sente perdido, você não deveria se sentir assim, você sabe qual caminho seguir, não sei se é a estrada certa mas eu estou aqui pra te guiar até em casa assim como diz em outra musica que gostamos. Então me deixe ser a sua luz? Você consegue me ver? Estou bem aqui te esperando como sempre, a sua dor sempre será a minha dor, eu sempre serei você.

domingo, 22 de julho de 2012

Você não quer estar comigo?


Você me pediu para que eu não fosse embora e eu fiquei com vontade de pedir que ficasse comigo para sempre, mesmo sabendo que o para sempre não existe, porque nada é como nos filmes. Você faz perguntas demais e mesmo eu tendo as respostas para todas elas eu me calo, só que como você mesmo me diz, eu não sei mentir, meus olhos me entregam, por isso toda vez que você quer me perguntar algo você tira a minha franja dos olhos só para ter a certeza que nada escapara. Você diz que consegue me decifrar porque foi eu quem te ensinei a descobrir as coisas sem que as pessoas percebam, você sabe tanto sobre mim e eu mal consigo entender uma palavra do que você me diz, não sei se é porque presto atenção demais na sua boca se mexendo e não ouço suas palavras, ou se é porque você faz questão de me esconder o que realmente quer dizer substituindo algumas palavras por gesticulações.
 Toda vez que estamos em silencio por algum tempo e você chama meu nome o meu coração parece congelar, eu tenho a impressão que você vai me dizer tudo aquilo que eu quero ouvir, mas então você diz: - Nada. Como assim nada?  Desembucha garoto. Fala logo tudo que está guardando ai dentro, fala do que você tem tanto medo, me deixa pegar na sua mão e te levar para longe, onde seremos só nós dois até amanhecer, porque ficar segurando sua mão por uma hora e meia durante aquele filme não foi o suficiente para mim. Eu não quero só as suas mãos, quero teus braços, teus pés, eu quero você por inteiro. Eu quero que você também me queira.

quinta-feira, 19 de julho de 2012

Podem me dopar, me impedir de falar, mas eu ainda vou escrever


Levo fama de meio doida e isso assusta as pessoas é que eu não escondo quem eu sou, disfarço, finjo, mas meu olhar entrega tudo aquilo que me dói, dizem que penso demais, que me desespero a toa, mas eles não sabem o quanto meus pensamentos gritam aqui dentro da minha cabeça é um som tão agudo que chega a ensurdecer, me dá vontade de ir embora. Também tem aqueles que dizem que eu preciso de ajuda médica, eu acho engraçado quando dizem isso, eles querem me dar pílulas e injeções porque não conseguem lidar com a minha intensidade, querem me dopar, porque não aguentam a minha visão sobre a vida, o meu pavor os a assombram.
Ninguém compreende que o mundo inteirinho me dói de uma maneira absurda, então eu preciso sangrar por uma dor que seja só minha, eu preciso de endorfina para me lembrar que me corpo ainda sente alguma dor física e não só aquela dor interna que espreme os meus rins e parece estourar devagar as minhas veias. Ser taxada de maluca e todos os seus sinônimos é o preço que pago por me doar inteira ao medo, eu perco um pedaço de mim a cada esquina que eu dobro e se recompor é mas difícil do que parece.
Eu realmente não me importo se ninguém consegue entender, porque não suporto gente que finge me entender, mas que na verdade acha que eu não tenho jeito, eu não estou pedindo por cura nenhuma, pois os remédios e injeções podem até calar aquele grito de dentro da minha cabeça, mas não seriam capazes de tampar o buraco dentro do meu peito, eu também não quero que tampem pois ele já esta aqui faz tanto tempo, fui reinventando caminhos entre uma perca e outra e já não me importo com o oco em mim, é melhor a ausência do que o excesso. 

terça-feira, 17 de julho de 2012

Uma noite fria, um abraço de despedida


As mãos dele na cintura dela, os braços dela no pescoço dele, a respiração dele acelerada no ouvido dela, o nariz dela na nuca dele.
Ficaram abraçados por alguns segundos até que ele disse: - Você sentiu?
Ela perguntou: - O quê?
Ele respondeu: - Meu coração batendo forte!
Então ela o abraçou com um pouco mais de força e desejou que aquele momento durasse pra sempre. 

domingo, 15 de julho de 2012

Acertei errando.

Palavras desperdiçadas e tempo perdido. Começo meio e fim. Ele era quase da tua altura, quase o mesmo timbre de voz, quase o mesmo jeito de andar, ao falar a boca dele se mexia praticamente quase igual a tua, o sorriso quase idêntico, aquele jeito irônico de falar, também quase igual ao teu, quase o mesmo jeito de se vestir, quase o mesmo cheiro, quase o mesmo gosto musical, quase a mesma literatura de cabeceira, quase o mesmo beijo, quase a mesma fisionomia, quase o mesmo amor.
Ah, se não fosse o “QUASE”.

[Larissa Miranda]

É ele é quase você.

sábado, 14 de julho de 2012

Depois de tanto tempo eu te olhei de uma forma diferente

Pela primeira vez eu sorri quando te vi, fiquei com vontade de largar todo mundo e ir te abraçar, mas não fui. Eu quis te trancar dentro de casa, mas te deixei sair. Me afasto porque tenho medo que cresça o sentimento e eu não consigo lidar com excessos, fujo antes que seja tarde demais, antes que alguma lágrimas teimosa queira sair.

domingo, 8 de julho de 2012

Bandeira branca



Quando você vai perceber que dessa vez eu não quero jogar? Se você pensa que isso é uma competição, então você esta nela sozinho. Estou fora. Não sei se tudo que você diz ou faz é tentando me atingir, mas saiba que eu perdi a capacidade de me abalar, não consigo mais chorar e nem ficar extremamente feliz.
Eu não estou interessada em te ferir, na verdade eu não estou interessada em nada. Isso cansa e eu estou poupando tempo e energia para fazer aquilo que realmente importa, como brincar de pega pega com os meus cães ou dormir abraçada com os meus bebês. Porque um cachorro e uma criança são as criaturas incapazes de machucar alguém.

sexta-feira, 6 de julho de 2012

Me afastei esperando que eu alguém fosse me buscar


Eu queria alguém que desistisse de tudo por mim, que enfrentasse a eternidade para poder ficar mais tempo comigo sentado no banco de uma praça, discutindo sobre a possível existência do paraíso, enquanto eu olharia para seus olhos e veria o céu. Eu iria dizer que não queria voltar para casa porque os cômodos parecem vazios demais, e o eco me incomoda, ele não iria responder, mas ficaria comigo durante a noite toda, então eu respiraria toda a sua vida sabendo que uma hora ou outra vai acabar, porque é assim que acontece não é? Cedo ou tarde tudo tem fim, e sou eu quem tem mania de sempre se prender ao que já passou. Eu o abraçaria com vontade de escondê-lo do mundo, com medo de contar sobre ele para alguém, com medo de que ele percebesse que existem milhares de pessoas melhores do que eu.
Com o passar dos dias, o que sempre acontece, aconteceria. O medo me consumiria, a fertilidade da minha mente começaria a inventar desculpas das mais esfarrapadas, é o meu subconsciente querendo me afastar, e o meu coração querendo não se machucar, então os meus pés me levariam embora.
Eu não consigo me permitir ser feliz, porque felicidade demais me assusta, eu sou uma solitária daquelas meio que conformadas, que ao mesmo tempo não suporta a ausência, eu sou uma confusa daquelas que preferem a falta do que nunca existiu, do que a despedida do que já me fez sorrir. Eu não consigo lidar com a perfeição, pois eu não suporto a idéia de saber que as coisas podem ou não durar, imaginar as possíveis lágrimas e depois as mentiras e então à distância iria fazer com que eu quisesse deixá-lo antes que me deixasse.

terça-feira, 3 de julho de 2012

Eu sei que sou exatamente o que 98% dos homens não gosta ou não sabe gostar: eu falo o que penso, abro as portas da minha casa, da minha vida, da minha alma, dos meus medos. Mas eles adoram uma sonsa. Adoram. Mas dane-se. Um dia um louco, direto do planeta dos 2% de homens, vai aparecer.

[T.B]

domingo, 1 de julho de 2012

Julho chegou, o parque voltou e você nem se lembrou


O parque chegou à cidade. As luzes me entristecem, a roda gigante me lembra você, não porque tivemos um encontro romântico ali, ao contrario, pelo desencontro, aquela noite que você me procurou em torno da roda gigante e não me achou, então foi para casa dormir e me mandou uma mensagem de boa noite.
Desde que nos conhecemos tem sido um eterno desencontro, nunca estivemos juntos no mesmo tempo, é como se nossos sentimentos estivessem em décadas diferentes, o meu chegou atrasado, quando o seu já estava enfraquecido. Quando eu me decidi você já tinha alguém, quando você voltou atrás era eu quem tinha alguém, dentro de todos esses anos acho que nunca passamos mais de uma semana juntos, já faz tempo que não nos falamos sem que eu ou você estivesse namorando.
Ainda me lembro da ultima vez que nos vimos, me lembro de você sussurrando no meu ouvido que nunca me esqueceu, lembro também que depois que você me disse isso eu chorei a noite inteira. Eu nunca consegui entender o porquê não ficamos juntos, que coisa é essa que poderia ser mais forte do que tudo que você dizia sentir por mim? Que força é essa que consegue nos manter a milhares de km de distância, sendo que moramos na mesma cidade?
Mas eu sei das suas duvidas, eu sei que aquela outra nunca foi eu, apesar de um dia você ter comparado a minha frieza com a dela, só que ela nunca teve o interesse que eu tinha em você, ler suas musicas e achar todas elas lindas mesmo sabendo que nenhuma era para mim. Eu nunca suportei a idéia de você chorar por ela, me lembro daquela vez que te liguei bêbada, dizendo que ela não te merecia, e esse foi o dia em que você me ligou pela primeira vez, mas não ligou por mim, você teve o trabalho de pegar o telefone e discar o numero da minha casa só para perguntar quem era o cara que eu tinha visto com ela.
Diferente de mim você não procurou por respostas, você nunca se quer lutou por mim ou nós, entendo que eu não tinha o direito de pedir que esperasse por mim, mas você poderia ter se esforçado um pouco mais, dizer que estava com saudade e que sentia a minha falta, não era e nunca foi o suficiente, culpar o destino pela sua falta de interesse em mim, nunca foi a melhor solução.

sábado, 30 de junho de 2012

O tempo passa, a vida passa, você passa e eu não vejo

Andei tropeçando, cai na calçada, no canto do meu quarto, na escadinha que vai da garagem até o portão, cai em cada metro quadrado dessa cidade, procurando pelas suas mãos para me levantar e você não quis me ouvir. Então sangrei, na tentativa de tirar seu sangue de mim, mas é inútil já faz tanto tempo que seu sangue se espalhou por entre as minhas veias, foi bombeado pelo meu coração, passando por cada parte do meu corpo e sendo devolvido ao coração em um ciclo perfeito que já não sei se há vestígios de sangue seu em mim, mas eu ainda te sinto aqui. Sentir-te em mim, é tudo que eu posso fazer já que não tenho nada seu, nada que eu possa agarrar antes de deitar e dormir sozinha. Eu tenho medo de esquecer como é o seu rosto, o tempo passa de pressa e são tantas coisas acumuladas na cabeça que eu tenho medo da minha memória falhar, eu já esqueci como era o seu cheiro, por um lado isso é bom, pois não vou correr o risco de sentir seu cheiro em alguém e chama-lo pelo seu nome. Mas o seu rosto eu não quero esquecer, é doloroso pensar que um dia eu posso passar por ti na rua e não reconhecer seus traços. A única coisa que faria com que eu te reconhece-se em qualquer lugar do mundo é a sua risada, eu nunca vou esquecer o som da sua risada nem em um milhão de anos, mas por que um estranho riria pra mim? Eu digo estranho porque você já me esqueceu, portanto também não iria me reconhecer.A vida vai passando por nós em direções diferentes, me sinto cada vez mais distante desse lugar, é como se não houvesse espaço para mim, não existe mais nenhum passo para mim seguir, não sei mais nada sobre você, o que anda ouvindo e sentindo, que lugares frequenta e em que horário vai dormir, a única coisa que sei é que já não pensas mais em mim, como eu disse anteriormente, você me esqueceu.

Eu vejo o tédio estampado em todos os rostos que conheço

Perguntou-me o porquê eu ficava olhando pro alto sem dizer absolutamente nada, respondi que não é preciso falar todo o tempo, as melhores coisas não são ditas, são sentidas. Perguntou-me o porquê eu era tão difícil, se isso era medo que ele não me ligasse no dia seguinte, respondi que não estou desesperada atrás de ninguém, pessoas interessantes se tornaram escassas. Perguntou-me o porquê eu era tão complicada e eu respondi o que eu digo para todos eles: - Um dia alguém vai gostar de mim do jeitinho que eu sou.

sexta-feira, 29 de junho de 2012

É uma tristeza absurda

"Às vezes minha arrogância não deixa e eu queria me cortar. Ela não deixa e eu queria cortar alguém. Ela não deixa e eu quero pular da janela, dormir meses, tratar alguém mal, pouco me importar, quebrar tudo, fazer algo terrível, nunca mais fazer nada''

[Tati Bernardi]


Estou triste. Hoje não deu para segurar a tristeza dentro de mim, deixei ela sair, botei tudo para fora, passei a tarde inteira na cama, debaixo das cobertas, chorando, sem me importar que hoje é sexta- feira e o meu rosto vai ficar inchado, porque hoje eu não quero sair de casa, quero ficar aqui com a minha tristeza longe de bocas que só me procuram como passa-tempo. Me tranquei no quarto, abafei meus gritos com o travesseiro, enfiei as unhas na minha pele e a dor não foi maior que a dor que eu sinto no peito, nada me acalma, nada faz passar.

Já não resta muita coisa além mim


Comecei a me permiti sofrer, deixei de ser incompreendida e passei a ser esquecida. Chorei sozinha, dentro do banheiro, debaixo do travesseiro, embaixo do pé de acerola do meu quintal, não incomodei ninguém com nenhuma ligação de madrugada, não importunei nem se quer o motivo das minhas lágrimas, não bebi e depois liguei pra ele me buscar, não quis mais ser aquele fardo que ele precisava carregar de volta pra casa. Não fiz nada, permaneci sozinha no meio de tantos livros e lâminas das quais eu nunca mais encostei à minha pele e eu não precisei de ninguém pra parar, é eu parei sozinha e ninguém percebeu. Não precisei mais de todas aquelas criticas de pessoas ignorantes que não entendiam nada da minha dor.
Tens me acontecido tantas coisas que há dias que eu sinto como se todos os órgãos do meu corpo quisessem sair ao mesmo tempo pela minha boca, e é sozinha entre todos os meus livros velhos e toda a bagunça do meu quarto que eu me encontro. Isso de me isolar de tudo que é considerado humano começou quando eu aprendi que eu sou a unica pessoa incapaz de me magoar, entendi que ninguém mais acredita em mim, confesso que eu também quase não acredito, mas as vezes fico surpresa quando vejo-me tentando não cair, me apoiando no meu próprio ombro. Eu sou a unica pessoa capaz de cumprir todas as promessas que já me fiz, porque apesar de todas as minhas crises existenciais e de todos esses anos sentindo pena de mim mesma eu percebi que eu ainda me importo. Eu mudei tanto e mais uma vez eu fui a unica que percebeu.

Ele olhou pra mim...


E me disse: - Oi! Ou talvez ele tenha dito: - E ai?
Eu não sei, fiquei nervosa demais para assimilar o que ele estava dizendo e não conseguia entender se era comigo que ele estava falando, mas só poderia ser comigo, não tinha mais ninguém no local, era a chance que eu tanto queria para conversar com ele. Eu tinha frações de segundos para elaborar uma resposta e o tom de voz certo que não demonstrasse a minha desintegração interna, por estar diante daquele ser tão lindo, cuja voz grave estremeceu cada molécula do meu corpo. Não sabia como responder, pois não sabia exatamente o que ele queria dizer, se estava tentado se socializar comigo ou se só estava sendo gentil. Enquanto ele ainda me olhava esperando por uma resposta. De uma forma inexplicável meu cérebro pensou em todas as maneiras possíveis de dizer um simples: - Oi, tudo bem?
Mas eu não disse nada. Apenas sorri.

quinta-feira, 28 de junho de 2012

Confirmo a teoria de que pessoas interessantes, não andam atoa por ai


Estou te procurando nos lugares errados, dificilmente você estará nesses lugares deprimentes que eu ainda vou. Não irei te encontrar no meu curso de matemática, porque como diz a menina de dez anos que entende de literatura: Quem gosta de matemática é do demônio! Pois é, até que ponto eu cheguei, comecei a gostar da maldita e o pior de tudo é que eu ouço conselhos de uma criança. Também não irei te encontrar no shopping, lanchonetes, pizzarias e restaurantes de comida japonesa, pois comecei a fazer compras pela internet e peço comida em casa. E quanto às festas? Eu comecei a ter uma preguiça enorme de frequentar festas, e certamente você também não frequenta esses lugares. Então como posso saber onde estarás agora? Se também me procura por ai nos lugares errados ou se assim como eu fica em casa esperando um milagre, esperando que alguma pessoa bata na porta da sua casa pedindo uma informação e que você convide-a para entrar e descubra que ela é a mãe dos seus futuros filhos. O mundo é grande demais, e minha paciência muito curta, eu te quero agora, te quero pra sempre, sem nenhuma demora, sem nenhum obstáculo. Dizem que todo escritor é um poeta e que os melhores poetas são aqueles que vivem sozinhos, se for assim eu paro de escrever só pra te ver chegando.

Acaba se tornando desperdício de palavras


Eu tenho vontade de escrever você. Escrever teu nome e sobrenome em todos os lugares, escrever em milhões de balões coloridos, no muro da Cisjordânia, na areia do deserto do Saara, em forma de fumaça no céu ou em todos os meus órgãos. Deixar nossa história criptografada para que um dia algum gênio do futuro consiga decifrar aquilo que nunca conseguimos entender. Colocar uma carta sobre você dentro de algum livro antigo que ninguém mais lê em uma biblioteca gigantesca para que um dia algum curioso encontre e entregue a carta para os teus filhos ou netos. Eu quero te transformar em canções, em esculturas de gelo ou na mais linda das poesias. Eu tenho tanta vontade de te dizer tudo aquilo que eu nunca consegui falar, só que agora os seus ouvidos se cansaram da minha voz, seus pés esqueceram o caminho da minha casa, seus olhos já não me procuram na multidão. Por mais que eu espere, grite e escreva não ira adiantar.

Quando a carência se mistura com a paranoia


Ontem eu quis te ligar, mas fiquei com receio de você ver que era eu e não atender, você poderia estar com alguém e eu não queria atrapalhar, também tive medo da minha voz falhar e não conseguir dizer tudo aquilo que eu guardo aqui. Depois achei que a vontade de te ligar era porque eu não queria ficar sozinha em casa e precisava ouvir uma voz conhecida, mas o medo de não ouvir a sua voz porque eu acho que você não iria me atender foi maior do que o medo de ficar sozinha em casa. Depois pensei ser sintomas da TPM a falta de serotonina no sangue resulta em carência emocional racional e até esquizofrenia. Mesmo assim eu queria te ligar, eu precisava saber de algumas coisas, eu precisava mesmo saber antes que eu entrasse em um estado grave de euforia mental. Eu me segurei, me sufoquei, gritei comigo mesma para não te ligar e fui dormir para ver se a vontade passava. Dormir não adiantou, sonhei que te liguei, consigo controlar meus atos (ás vezes), mas o meu subconsciente é impossível. Então no sonho perguntei o que eram aquelas coisas que você escrevia e você disse que não era nada, também perguntei se gostava dela, você hesitou em responder , eu insisti e perguntei novamente: - Você gosta dela? ... Depois de alguns segundos em silêncio você respondeu: - Incontrolavelmente. Acordei, tomei um café bem forte e decidi que não vou te ligar, eu não preciso ouvir de novo, aquilo que na verdade eu sempre soube.

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Eu parei e não tive forças para voltar


Eu parei com quase tudo. Parei com aquilo que me aliviava de todas as dores, aquilo que me permitia fugir para qualquer pedaçinho de papel; Escrever. Nenhuma linha fez falta para alguém nenhum. Parei de sair e abraçar pessoas, de rir ao ouvir uma historia e até de conversar. Parei de rabiscar as paredes, as capas dos cadernos, a escrivaninha. Dessa vez ninguém me deixou, eu me deixei, por algum motivo ou por motivo nenhum, parei comigo mesma. E diferente do que um dia fui, não consigo mais carregar todo o peso do mundo e esconder tudo com um sorriso. Sinto muito. Mas não consigo. Não faço mais nada além de ler livros, e não prestar atenção em nada, sem me importar se lá fora está sol ou chuva, se esta calor ou frio, sem dar conta de que é fim de semana e feriados. Sem ter vontade de fazer qualquer coisa para mudar ou apenas melhorar isso, porque a apesar de tudo eu não quero tornar as coisas diferentes, tenho medo do que eu posso encontrar la fora. Comecei a me sentindo um trapo, um lixo ambulante, uma morta viva, acho que essa é a palavra que melhor me define ''Morta Viva'', eu fui permitindo que partes de dentro de mim fossem mortas, é isso mesmo, você que me lê não deve saber o que é sentir essa coisa apodrecida, que a cada dia que passe consuma mais uma parte de mim, é como uma fatia de pão embolorado, você arranca o bolor e pensa que esta tudo bem, mas mesmo sem poder ver as toxicinas continuam a ali, tão fortes que são capazes de  a causar morte.

Um órgão a mais


Então ele se foi, me trouxe todas as cartas nas quais dei tudo de mim para escrever, meus presentes, devolveu também meu coração, o surrou pela ultima vez e me devolveu, dolorido, mas ainda pulsando, depois de 1.098 dias eu tenho meu coração de volta, e dói, dói tanto, sangra e sufoca, já não cabe em mim,há tempos que não me pertencia, perdeu o formato, se estilhaçou. O mandei ir embora pela ultima vez e ele se foi, eu não olhei para trás, deixei que fosse, que deixasse todas as minhas coisas, levasse algumas lembranças e partisse, pedi para que nunca mais voltasse. Me tranquei em casa, e tranquei o que restou do coração.

Você deve estar por aí, andando por ruas erradas, virando as esquinas erradas e ligando para pessoas erradas


Ontem um pouco antes de dormir, fiz um pedido; desejei que você aparecesse, que eu te encontrasse virando a esquina, esbarrando por você na rua ou na fila do mercadinho. Não importa aonde, eu só queria te encontrar, queria que você aparecesse no portão da minha casa, na porta da minha sala ou na portaria do colégio. Não importa como, em uma ligação errada, ao pedir uma informação ou me ajudando a colocar meu cachorro pra dentro de casa.
Só queria que pegasse na minha mão e me arrancasse desse inferno, me mostrando que nem tudo está perdido, que eu ainda posso confiar em alguém, que dessa vez eu não vou precisar chorar. Queria que fizesse uma surpresa, me entregasse uma rosa, cantasse na minha janela, mesmo eu  detestando todas essas coisas, eu não me importaria desde que você conseguisse me fazer entender que eu ainda tenho muito o que viver, e preciso viver esse tempo com você. Eu só queria que você existisse e não fosse apenas mais uma ilusão criada pela mente de uma aspirante a poeta.

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Não precisar trazer flores e nem presentes, só precisa sentir o que eu quero que sinta comigo

Eu não acredito em amor pra toda vida, você também não precisa ficar comigo por toda vida, um amigo disse pra mim aproveitar o momento, e que gostar de alguém não é crime. Ninguém é livre de ter o coração partido. Sabe moço, a minha mãe teve o coração partido, ela chorou, não quero que me faça chorar também, eu não quero te odiar, eu quero que seja o motivo pra minha mãe ficar brava comigo por eu ter perdido a noção do tempo, e ter chegado em casa tarde porque dormi no seu sofá, depois da gente ter conversado sobre os nossos medos. Não quero que você me faça fazer o que eu já fiz com os outros, não me irrite ao ponto de eu desligar o telefone, bater a porta na sua cara e deixar você falando sozinho enquanto eu me viro e vou embora. Eu acho que eu não vou precisar fazer isso, eu não quero precisar fazer isso, eu queria que com você fosse diferente, queria não ver você com outra, que você não me deixasse de lado por causa dos seus amigos, que não me largasse sozinha a noite pra fazer sei lá o que na rua. Eu sei, às vezes eu quero coisas demais, eu só queria mais uma coisinha, queria que você gostasse de mim.

E todos os castigos caíram sobre mim


Eu caio sentada no corredor entre o meu quarto e o banheiro, é tão frio e cheira solidão, então permito que caiam as lagrimas, choro até ter ânsia de vômito, o tempo me atropela e eu não me importo, continuo aqui ainda com a mesma roupa de ontem, a mesma dor de ontem. E toda essa culpa que foi jogada sobre mim pesa tanto, é um fardo muito maior do que o meu corpo fragilizado pela falta de alimentos pode carregar. Eu vou escrever até os meus dedos sagrarem, vou escrever aquilo que você nunca vai ler, eu vou gritar até a minha garganta secar, vou ouvir musicas até meus tímpanos estourarem. Eu deixo o telefone tocar, a água do chuveiro escorrer, a cama à arrumar, os livros no chão. Eu acordo no meio da noite para chorar e surrar o travesseiro, eu assisto filmes melancólicos, aqueles filmes que eu sempre odiei por achar coisa de ''menininha'', mas é assim que eu exatamente me sinto como uma garotinha que perdeu seu ursinho de pelúcia preferido e agora não conhece dormir.

Meus olhos viram, meu peito doeu o resto minha mente imaginou


Tenho pesadelos e acordo em desespero, confundo os tais pesadelos com a realidade, talvez não seja só um sonho ruim, seja a mediunidade perturbada da minha mente querendo me avisar que tudo aquilo está acontecendo, aconteceu ou acontecerá, é assim mesmo conjugando o verbo infinito acontecer, pois parece não ter fim. Me perco em todas as neuroses do meu subconsiente e não consigo mais dormir, levanto da cama imaginado teu corpo em outra cama que não seja a minha, ou imaginando outro corpo na tua cama que não seja o meu. Vou tentar comer e não consigo, odeio essa palavra ''comer'', odeio o outro significado que essa palavra possa ter quando não é usada para dizer sobre a entrada de alimentos no corpo, odeio também o sinônimo de entrada, eu odeio a semântica da língua portuguesa, essa coisas de uma única palavra ter tantos significados diferentes. Eu odeio saber ler, odeio a minha mania de interpretar cada palavra de uma forma variada, odeio que você saiba escrever, odeio a sua professora do fundamental que te ensinou a escrever, odeio a internet e todas as suas maneiras de comunicação, odeio as redes socias, odeio as pessoas que você conversa, odeio a forma vulgar como você conversa, odeio a sua facilidade em dizer ''eu te amo'' pra qualquer pessoa. Só estou tentando dizer que eu odeio ter lido seu histórico ou melhor odeio ter me magoado ao ler tudo que eu li.

Saudade é a única palavra da língua portuguesa que não tem tradução e é a unica coisa que hoje cabe em mim


Ele me perguntou: - Quando você me olha o que você vê ? Então olhei em seus olhos iluminados pelo poste de luz na calçada e respondi: - Alguém que eu não conheço mais, alguém que me diz tantas coisas e eu não consigo acreditar em nada.Não consigo acreditar porque já acreditei demais, arrisquei o que tinha e perdi até o que não tinha, por causa dessa minha mania boba de intensidade e tudo que é em excesso estraga. Amei demais sem admitir, perdoei mesmo querendo cortar todos os seus dedos e consequentemente me magoei demais.Você fazia com que eu sentisse um turbilhão de sentimentos diferentes, que se espremiam para caber em mim e hoje quando estive diante de ti única coisa que eu consegui sentir foi algo próximo a saudade. Saudades do que fomos e de como eu era quando estava com você, saudades de quando eu acreditava em você e de quando eu me sentia triste e te procurava, essa minha procura por ti já faz tanto tempo, nesse ultimo ano eu não te procurei entre os cômodos da minha casa para te contar como o que acontecia comigo e nem busquei teu nome na agenda para te ligar e chorar, não é porque nunca mais fiquei triste, mas sim porque eu tinha medo de te dizer como eu estava, pois sabia que você me encheria de perguntas sobre o que eu sentia por você e acharia que eu nunca reconheci os seus esforços. Por diversas vezes eu me calei e você perguntava o porquê eu virava a cara e não te respondia, o meu silêncio sempre esteve cheio de medos, incertezas, magoas, ódio e de choro interno, eu deixava tudo descer pela garganta e permanecia calada, eu ainda continuo assim silenciosamente quebrada. Engulo, respiro e finjo que não machuca.

Talvez você só quisesse alguém melhor


Elas podem te ter por alguns instantes ou por uma noite inteira, uma transa barata, um copo de cerveja, uma ligação de madrugada, uma conversa safada. Mas nenhuma vai te ter como eu ainda te tenho, com um desenho tatuado na minha pele, com seu nome escrito na parede do meu quarto, na minha escrivaninha, nenhuma vai ter o privilégio de abrir a apostila pra estudar e encontrar um recadinho seu, nenhuma vai conhecer todas as suas faces como eu conheço, nenhuma vai te escrever uma carta por dia e se sentir destruída ao ver você devolver sem remorso algum, todos aqueles papeis escritos pela mesma mão que mexia no seu cabelo e o menos importante nenhuma vai chorar por você ou com você como eu já chorei.

Infelizmente andei sonhando...


Andei sonhando com você. Você que eu já não lembro mais, você que eu esqueci o cheiro, você que eu deixei de conhecer, não me lembro dos seus gostos e não sei sobre os seus sonhos. Tenho vagas lembranças do que fomos e tenho a certeza de que era horrível, a unica lembrança que tenho claramente é a do fim, me lembro do quanto foi difícil me recuperar e seguir em frente quando eu me recusava a ir adiante sem você. Me lembro também do que eu sentia por você, não sei bem o que era, não sei dar nome para aquele turbilhões de sentimentos que quase acabaram com a minha existência, que me causaram marcas profundas na pele e por pouco não derreteram as paredes do meu estômago, fazendo com que eu me sentisse a mais desprezível das criaturas. Sonhar com você é trazer todo o passado a tona, é sentir arrepios ao pensar no desespero, é desgastar a minha mente ao tentar lembrar do começo. Mas consegui lembrar das tardes em que o seu silêncio e o seu desinteresse me incomodavam, conversávamos tão pouco, chegava a ser quase nada, me lembro de coisas como a sua mão da minha, só não lembro da textura da sua pele. Parei de me forçar a lembrar, pois começei a confundir meus sonhos com a realidade, comecei a imaginar coisas que talvez nunca aconteceram ou aconteceram, eu não sei, não me lembro. A imagem que guardo sua é a de você indo embora sem remorso algum ao me deixar no portão ao prantos. Já não sei quanto tempo faz, não sei quando que eu comecei a te detestar, não me importa, também não importa para você, nunca importou nada, é que pensei que escrevendo eu pararia de sonhar.

domingo, 24 de junho de 2012

Mannequin


Eu quero bater em você só pra ver se você chorar, continuo aguentando firme esperando que tenha um garoto de verdade aí dentro. Porque você não é um homem você é apenas um manequim (...) Eu queria que eu pudesse apenas ligar você, colocar uma bateria e fazer você falar, até mesmo puxar uma corda para você falar qualquer coisa. Mas com você não existe garantia, apenas validade vencida, um monte de partes quebradas mas parece que eu não consigo achar o seu coração. Eu sou uma tola. Porque isso está fora das minhas mãos, eu não posso te juntar novamente, porque você não é um homem, você é apenas um manequim.

[Katy Perry]

Se esquece


Você passa tanto tempo se esforçando para não acreditar nas pessoas mas no final você não deixar de acreditar nelas e sem perceber na verdade é em você mesmo que passou a desacreditar. Se sente incapaz. E então você se olha no espelho e tem vontade de chorar sem razão ou motivo algum, além de não reconhecer a imagem refletida. Não entende de onde vem essa confusão, parece ser só mais uma perdida em um mundo onde as pessoas fingem todo o tempo. Sente medo. Olha para todos os cortes espalhados pelo corpo e acha isso tão escroto, mas a dor ainda é a única maneira de se sentir viva, depois de tanto exterminar de dentro de si memórias, matou também aquilo que te fazia bem. Morreu em vida e não quis voltar.

Me perdoe por não ser o sonho de ninguem


Eu queria ser perfeita, ser menos complicada, mais educada, agir como meninas normais agem, usar muita maquiagem e salto alto, sentar de pernas cruzadas, gostar de rosa, babados e fluflus, ou sei la o que meninas normais gostam. Eu queria ser perfeita pra você, ser aquela que teus amigos olhassem e sentissem inveja por você me ter, queria pelo menos chegar um pouco perto da perfeição mas não faço nada pra mudar isso, a verdade é que como eu não sou perfeita eu não tenho paciência de me importar com a minha aparência. Me perdoe por ser implicante e até enjoativa, por ser a menina estranha que não penteia os cabelos, por ter algumas dobrinhas a mais aqui e faltar um pouquinho ali, por ter as pernas tortas e fala bobeira o tempo todo. Eu nunca fui a mais bonita nem a mais inteligente, mas eu sempre fui eu mesma. Essa sou eu imperfeita e mal ajeitada, você pode me aceitar assim ?

Eu sou a unica capaz de conviver comigo


Eu vou ouvir musicas que você não gosta, vou ler textos que você acha entendiante, vou ser mal compreendida, me sentir menos importante, vou me irritar e chorar a toa, querer companhia e logo depois querer ficar sozinha, vou me calar mesmo com vontade de gritar. Meus gostos estranhos e minha bipolaridade irritam eu sei, então se eu me isolar é apenas a minha forma de não incomodar porque também sei que não sou uma companhia muito agradável. Mas não importa eu até acho que gosto de mim assim, não precisa me entender e muito menos amar meus defeitos, me acostumei com incompatibilidades.

sábado, 23 de junho de 2012

Você se foi e levou o que eu sentia por você


Meus amigos, teus amigos, desconhecidos sempre diziam vai passar, ele não merece, não chora, você vai ficar bem. Toda essa babozeira não fazia sentindo nenhum pra mim, a verdade é que eu não queria que passasse, eu não queria ficar bem sem você, eu não queria colocar um fim nos meus sentimentos por você, mesmo que houvesse momentos em que eu te odiasse, ódio ainda era um sentimento, então era sinal de que eu ainda me importava. Essa coisa toda de não sentir mais nada é tão triste. É triste atender o telefone e não sentir mais cada milímetro do meu corpo estremecer quando ouço a sua voz, é triste ver uma foto sua e não ter os meus olhos cheio de lágrimas é mais triste ainda te ver e não ter aquela sensação de que o resto das pessoas desapareceram e só sobrou eu e você no planeta. Você foi me perdendo em cada briga, cada erro, cada grito, cada ida, cada lágrima que você causava matava um pedacinho seu de dentro de mim. Juro que tentei manter você, implorei para que não partisse, mas acho que hoje já não resta muita coisa.

sexta-feira, 22 de junho de 2012

Essa falta irá assombrar?

Você nunca mais deitou em minha cama, mas eu ainda sinto o seu cheiro no meu travesseiro. Queria que você soubesse que eu tenho uma foto sua escondida e olho ela às vezes quando a saudade do seu rosto se torna insuportável, também queria te dizer que eu guardo as suas cartas com todas as linhas escritas com um sentimento que eu não soube lidar. Confesso que eu nunca soube o que fazer com aquela sua insegurança e todo o seu medo em não confessar que gostava de mim, a minha presa por respostas, a minha desconfiança em você te afastou de mim.Eu te assustei não foi menina? Foi por isso que você foi pra longe de mim, eu sei, a culpa de tudo isso foi minha, é que o medo de te perder não me deixava perceber o quando eu te sufocava, o meu descontrole era tamanho que eu não enxergava o quanto você tinha feito por mim, e de tanto medo de te perder eu acabei te perdendo de verdade, eu fui te afastando aos poucos de uma maneira bruta, mesmo sabendo que você estava cansada nunca pensei que um dia você desistiria de nós. Eu causei tantas discussões, você virou as costas pra mim e bateu a porta em minha cara, eu não imaginava que você teria coragem em me deixar, eu devo ter provocado muito ódio em seu coraçãozinho. E você provocou muita saudade em mim, tem dias que eu sinto falta de ouvir a sua voz, deitar no seu colo ou sentir os seus cabelos no meu peito. Eu deveria ter protegido a minha garotinha medrosa, e não ter causado mais medo, eu deveria ter te mostrado o quanto ficar longe doía, e não tentar atingi-la com outras garotas, eu deveria ter sido o amigo que você não tinha, e não criticá-la por ouvir tanto os seus ‘’amigos’’, eu deveria ter pego em sua mão e ter dito palavras de conforto, e não ter gritado, e dizer que não te amava e que tinha te traído. Eu sempre fiz tudo ao contrario, principalmente no dia que te vi rindo com meu amigo, eu deveria ter te tirado dali mesmo que fosse contra a sua vontade e não ter beijado a sua amiga só porque eu estava com ciúmes.Você um dia chorou tanto na minha frente e perguntava repetidamente o porquê eu tinha feito aquilo, o porquê tinha tido aquelas conversas com outras quando prometi ter tido consideração por você, eu não sabia te explicar, mas eu sabia que mais uma vez tinha feito tudo ao contrario, fiz aquilo talvez por vingança por você ter ido naquela festa, ou talvez fiz aquilo porque nunca pensei na sua dor, meu egoísmo só me deixava ver o meu sofrimento, eu não imaginei que um dia você iria ler e não me importei que aquilo iria te fazer sofrer, porque nunca acreditei que você gostava de mim, por causa do meu egoísmo que me fazia acreditar que o meu sentimento por você era maior do que o seu por mim. Hoje você vive com a sua frieza e eu com o meu orgulho, já que você não quis me aceitar de volta e eu te perdi, deixei de insistir. Agora tenho que esquecer o quanto você me fez feliz e viver fingindo, finjo que não sigo os teus passos, que não sinto falta de rir das bobeiras que você dizia, que esqueci a intimidade que compartilhamos, que não ouço as musicas que você gosta. Resolvi deixar você ir e você foi mesmo, pegou os seus medos e foi buscar proteção em outro canto.

Ps. Eu queria, queria mesmo que você pensasse assim.

Falar para que?



Hei, não fique achando que a culpa é sua por eu nem sempre estar feliz, não sinta nada, isso de sentir demais é coisa minha, não fique pensando que quando eu me afasto de tudo é porque eu quero me afastar de você. É que eu sinto saudades de mim, de me trancar no meu mundinho de musicas e textos tristes, aqueles textos que você acha que fazem a minha cabeça. Também não fique pensando que todas as marcas que tenho no corpo são por sua causa ou por causa de alguém, quando na verdade a maioria delas são por minha causa. Você não sabe mais eu tenho medos bobos que eu não conto para ninguém, nem para você, não quero te encher com os meus dramas pois sei que você não entenderia nenhum deles, até mesmo porque você não me conhece quando estou sozinha, você não sabe como eu sou quando ninguém esta por perto, você não sabe o que eu sinto quando me olho no espelho ou quando eu acordo no meio da noite. Não estou mentindo e nem escondendo nada, mas uma vez isso é coisa minha e não sua, você não precisa saber, não precisa entender.

Ninguém sabe quais são as minhas piores horas



O meu lado ninguem vê, o que eu passei ninguem sabe, o que eu sinto ninguem nunca vai entender. Ninguém sabe das noites em que eu não dormi, das vezes que eu abafei os gritos no travesseiro, dos cortes que eu tento esconder. Não tinha nenhuma mão para segurar a minha até a dor passar, não tinha nenhuma voz do outro lado da linha me convencendo que a minha vida faz diferença.

''Quem diz que me entende nunca quis saber''

Tudo isso eu devo ao cansaço


Me permiti sofrer e percebi que o sofrimento já não existia. É eu cansei. Eu avisei que esse dia iria chegar, o dia em que eu não teria mais vontade de te atender, de te procurar e perguntar para os seus amigos onde você tá e se você vai aparecer. Foi se esse tempo em que eu me preocupava com você, onde eu me sentia culpada ao te ver fazendo coisas erradas e me sentia mal quando te via chorando. Eu cansei de você e de tudo que é seu, eu não durmo mais com a sua camiseta, não visito suas redes sociais, não olho meu celular a cada minuto para ver se tem mensagem sua, não me importo se você tem outra garota. Porque eu sei que qualquer uma que você encontre não será igual a mim, nenhuma vai fazer por você tudo que eu já fiz e quis fazer mas o tempo não permitiu. Cansei das mentiras, de todas as palavras ruins que você dizia para me atingir e de todas as suas tentativas de me derrubar. Depois de tantos anos tendo medo de você, medo que você me deixasse, medo que você me esquecesse, medo das suas ameaças, medo de não conseguir ficar sem você, todos esses medos se transformaram em um pequeno ódio. Calma, eu não te odeio, eu disse pequeno ódio mas é o suficiente para não te querer mais na minha vida. Pode ir agora eu já consigo dormir sem chorar, aliás desde que te mandei embora pela ultima vez eu não derrubei nenhuma lágrima sequer. Eu esgotei de tanta dor e pela primeira vez em muito tempo, estou feliz sem você.

Eu não liguei para tudo ao meu redor...



Fiquei parada, sentada naquela calçada esperando alguém, mais precisamente você. Havia pessoas ao meu redor e ao mesmo tempo não havia ninguém, pois ninguém era interessante o suficiente para me fazer querer ficar. Achei que você chegaria ali, me pegaria pela mão e me levaria embora para casa, continuei esperando, inutilmente, eu tinha consciência que seria praticamente impossível você ou alguém passar por ali e me levar para algum lugar longe de toda aquela gente desinteressante. Continuei esperando naquela maldita calçada e ninguém quis me encontrar. Inacreditavelmente eu não estava bêbada, só estava tentando entender essa bagunça toda, o porque nada está dando certo, sim eu estava sóbria mesmo me sentindo fora de mim. Continuei esperando e o que eu previa aconteceu, você não apareceu.

É maior do que parece


Quando tudo está ruim, quando você se sente incapaz de enfrentar o mundo, quando nenhuma companhia faz com que você se sinta melhor, é ela quem você procura, só ela tem o antídoto capaz de te acalmar, só ela tira a sua dor em segundos. E você acha isso tão bobo, se sente tão patética mas não consegue se desprender dela, e continua ali chorando, cheia de sangue, e logo depois se sente bem, a dor é real, você se sente bem por ter enfrentado a dor, mas sabe o que você é? Uma frágil criatura miserável que não consegue superar tudo sozinha, é isso que você é, você não é tudo isso que aparenta ser, você sofre, chora escondido, disfarça tudo com maquiagem, é isso que a sociedade faz não é? Disfarça tudo com maquiagem. Finge sorrisos e simpatia, mas a verdade é que ninguém se importa, eu não me importo, ela não se importa. Mas você não consegue deixa-la, encontrar outro jeito sem ela se torna impossível, apesar do ''mal'' que ela causa, ou que você mesmo se causa por influencia dela. Então é isso, depois de tentar resistir, de dizer que nunca mais,você percebe que não é forte o bastante, o pânico toma conta da sua consciência, o desespero é enorme, até que você se cansa, e aceita ela de volta, sem ela é mais difícil, eu sei. Agora você já sente melhor, já passou. Engano. Dura pouco, logo tudo volta, e você precisa de libertar outra vez, você incontrolavelmente precisa dela, sua mente é insana, o corpo é masoquista, você quer se machucar cada vez mais, não há controle, não há solução, você se esquece como era antes dela aparecer. Talvez exista possibilidades de escapar, talvez seja você que perdeu todas as forças quando se entregou a ela. As pessoas vão comentar, vão te ridicularizar, te olhar diferente, mas você já não liga pra nada disso, ela é tudo que você precisa. Lâminas.

quinta-feira, 21 de junho de 2012

O tempo nem sempre se encarrega de tudo


Apesar de sentir tudo em minha volta sufocar, eu continuo respirando, esperando um dia encontrar um alivio para todas as coisas que atormentam a minha mente, mesmo sabendo que na verdade eu nunca vou esquecer, porque ainda dói todas às vezes que eu me lembro e o meu coração é masoquista, gosta se torturar com as lembranças e impede que eu apague o que restou. Não adianta tentar me afastar de tudo aquilo que um dia me fez mal, porque o que me fez chorar um dia também foi o motivo de todos os meus risos, desfazer de tudo seria o mesmo que arrancar um pedaço de mim e eu não suportaria outra perda.

As resposta nunca viram


E todas as minhas lágrimas valeram alguma coisa para você? Se me disser que elas te fazem bem eu posso guarda-las em um vidro e te entregar, pois elas se tornaram insignificantes para mim, aquilo que já foi derramado já não me serve. E todas as vezes que você quis me derrubar para sua satisfação própria? A minha dor vale o que para você? Porque para mim não vale mais nada, de tanto que já doeu anestesiou. E todas as vezes que você foi embora, foi divertido? Me faz acostumar com a solidão e depois volta, muda toda a minha rotina, e depois diz que precisar partir novamente. E todas as outras foram melhores do que eu? E aquela la que era minha amiga, você gostou? Você alguma vez parou para pensar que eu sonharia quase todas as noites com vocês juntos? Será que elas suportariam tudo que eu já suportei e te aceitariam de volta como eu sempre te aceito? Creio eu que não aceitariam, assim como niguem aceita quando você volta para a minha vida, porque todos sabem, inclusive eu, que uma hora ou outra você vai me fazer sofrer de novo. Se você quiser ir eu não vou impedir, só peço para que não volte nunca mais e se ainda restar alguma consideração por mim, faça o máximo de esforço para se manter longe de mim e de tudo que tenha a minha interferência, mas se quiser ficar saiba que eu não vou mudar, eu não vou parar o meu mundo mais uma vez só para segurar a sua mão, depois quando tudo cai, fica dificil de reerguer sozinha. Que esse seja o ultimo erro.

Algo morre todos os dias e ninguem percebe


Você finge que esqueceu, que perdoou, que ao colocar a cabeça no travesseiro não fica remoendo o passado de novo e de novo, finge que consegue dormir, que não tem mais vontade de chorar, que ainda é a mesma pessoa, você finge para todos mas de tanto fingir para os outros acaba esquecendo de fingir para si mesmo.