sexta-feira, 29 de junho de 2012

Ele olhou pra mim...


E me disse: - Oi! Ou talvez ele tenha dito: - E ai?
Eu não sei, fiquei nervosa demais para assimilar o que ele estava dizendo e não conseguia entender se era comigo que ele estava falando, mas só poderia ser comigo, não tinha mais ninguém no local, era a chance que eu tanto queria para conversar com ele. Eu tinha frações de segundos para elaborar uma resposta e o tom de voz certo que não demonstrasse a minha desintegração interna, por estar diante daquele ser tão lindo, cuja voz grave estremeceu cada molécula do meu corpo. Não sabia como responder, pois não sabia exatamente o que ele queria dizer, se estava tentado se socializar comigo ou se só estava sendo gentil. Enquanto ele ainda me olhava esperando por uma resposta. De uma forma inexplicável meu cérebro pensou em todas as maneiras possíveis de dizer um simples: - Oi, tudo bem?
Mas eu não disse nada. Apenas sorri.