sábado, 9 de junho de 2012

Eu só posso te oferecer as minhas feridas


Eu não consigo confiar, eu preciso que você me desenterre e consiga ver se ainda existe um coração em mim, eu preciso tanto que você me tire esse mal, faça de mim alguém melhor, me faça voltar a acreditar, voltar a ter esperança. Abra a porta enferrujada do meu coração, entre e a segure para não fechar novamente. Depois se decidir leva-lo com você, vai ter que levar contigo todos os meus medos, só não quebre ele em pedaços, pois ele já foi colado tantas vezes que ficou frágil.