domingo, 10 de junho de 2012

Quem sabe se eu tiver coragem


Ah que vontade que me dá de fugir para bem longe daqui, sem deixar rastros e nem endereço, cortar alguns laços antigos e começar de novo em um lugar onde ninguém saiba quem sou, quem sabe até trocar de nome, esquecer a identidade antiga, partir com pouca bagagem. Talvez se eu tiver sorte um ou outro sinta minha falta nem que seja só um pouquinho, quase nada, e com o passar dos dias me tornarei apenas uma vaga lembrança.