quinta-feira, 14 de junho de 2012

Vou ficar melhor sozinha


Na vida você tem que fingir cegueira, tem que fingir que não sabe o que as pessoas pensam sobre você e quando você deixa de fingir as pessoas te deixam. Eu nunca tive medo de ficar sozinha, porque apesar de estar entre tantas pessoas a solidão sempre me assombrou, ela é interna, extensa e intensa, é coisa minha, também nunca tive medo de cair, meu medo sempre foi de voar, meu medo sempre foi de atravessar a rua, por isso nunca penso em ir mais alto e nunca saio da calçada, na verdade acho que meu medo é isso, é ir longe de mais e depois não conseguir voltar. Isso não é quase nada, o mais difícil foi o abandono dele, ele ficou do lado deles, do lado delas, do lado dos que me julgaram, dos que me traíram, dos que mentiram para mim, ele se tornou um deles. Ao invés de cuidar de mim, me ameaçou, ao invés de me proteger, só me deixou com mais medo, ele ficou bravo quando o outro começou a fazer tudo o que ele deixou de fazer a tanto tempo, mas não era as mãos do outro que eu queria nas minhas mãos tremulas, não era a voz do outro que eu queria ouvir dizendo que eu iria ficar bem, mas ele estava ocupado demais pensando em como me destruir, tentando de toda forma me magoar, então eu tive que buscar no outro a coragem para seguir em frente, mas o outro nunca foi ele.