terça-feira, 31 de julho de 2012

Do sim que eu quero ter

- Preciso que você me queira. Preciso que a gente viva de uma vez que lá vem o mundo e tira você de mim pra sempre, tenho medo. Preciso que você me escolha. Não porque ela não te mereça como eu mas porque eu quero isso mais que tudo em mim. Eu quero muito que seja eu. Que me escolha logo! Que me ame no chão ou em qualquer lugar que seja fora da minha mente. Preciso que me ame ou me solte a mão. Porque não podendo vou recolher o que sobrar e me amar até alguém ocupar por merecimento o lugar que lhe ofereço.
Tremia de frio e medo e ansiedade, tentava mas não conseguia me lembrar da última vez que puxara e soltara o ar.
- Não vim destruir seu mundo. Vim pedir de uma vez que me devolva o controle do meu porque não me cabe mais viver de respirar fundo e esperar você se dar conta de que te espero. Você foi meu antes de qualquer outra, não quero te roubar, quero só conseguir ir em frente, entende? Não quero mais te esperar pra sempre. É agora amor. Você vem? Você pode vir e me dar sua mão pra gente sentar e rir de como foi infantil até aqui insistindo em manter distante nossos pés gelados? A gente pode só sentar e eu ter a liberdade de pousar minha cabeça no seu ombro e te ouvir dizer 'princesa' sem a angústia de ver nos seus olhos a falta de certeza de algo? Vem.

[Sucrilhos e Neuroses]

Hei, por mais que eu queria, não precisa me escolher se não é isso que você realmente quer, pois acho que o meu erro é esse, ficar esperando a sua boa vontade em vir falar comigo, esperar você ter a certeza que ela nunca vai ser eu, só que essa sua indecisão está me matando, se não vai me escolher, então me deixe seguir em frente, não venha mais me dizer aquelas coisas e depois simplesmente me deixar mais uma vez esperando você lembrar da minha existência, se não vai deixa-la então me deixe.