segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Não adianta fugir, faz parte de mim

Ela apareceu assim do nada, estava linda e parecia brilhar, eu não pude impedir que meus dedos a puxassem para perto.

Seis meses de pele e roupas limpas foi tudo que eu consegui resistir, eu já tinha me esquecido de como era a sensação de alivio que aquilo me causava, já tinha me esquecido de como é sentir aquele medo intenso se espalhando por mim, fazendo cada centímetro do meu corpo tremer, essa é a parte que eu mais gosto, o medo faz com que eu ainda me sinta viva. Eu precisava desaparecer de dentro de mim pois tudo ali parecia congelar, eu só queria um choque de realidade, saber se eu ainda era capaz de sangrar, necessitava sentir algo forte o suficiente, Eu me rendi a dor e diferente das outras vezes eu não senti nenhuma culpa.