quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Se quiser ficar, eu deixo

Me deixou no portão de casa, me deu um beijo e disse boa noite. Eu virei as costas, entrei pra dentro de casa e pensei baixinho: Puta que paril, ferrou. Eu já não sei se é real ou fruto da minha imaginação, só sei que comecei a sorrir quando ele me chama e eu saio pra fora e vejo ele sentado de cabeça baixa na calçada, só sei que não sei mais ficar longe. Então eu penso mais uma vez: Que se foda! Eu não vou deixar mais uma vez alguém ir embora só por causa dos meus medos.