quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Eu não sei dizer, só sei sentir

Então eu sentei em uma praça qualquer, com algumas pessoas ao redor, pois não queria ficar sozinha e chorei baixinho torcendo para ninguém olhar ou perceber, é contraditório, eu sei, chorar em um lugar lotado e não querer que ninguém olhe, mas eu continuei ali quase me sufocando quando a vontade era de desmoronar, tentando engolir o choro quando a vontade era de gritar, e gritar, e chamar o estranho ao lado e perguntar: - Você consegue ver além desses olhos inchados, que eu não estou bem? Você notou que as minhas olheiras são devidas a tantas noites perturbadas. Mas não fiz isso, sei que o estranho não entenderia assim como os conhecido não entendem, assim como eu mesma não entendo que coisa essa que faz quase tudo me machucar. Ao mesmo tempo que eu me sinto uma pessoa tão ruim, eu acho o mundo cruel demais para mim, eu já não me sinto bem em lugar nenhum e todas as pessoas parecem magoar, mesmo não magoando.