sábado, 19 de julho de 2014

Ter o mundo nas mãos, é ter uma lâmina e um cigarro.

Os cortes. Mais uma vez, os cortes. A rotação do planeta para, o unico movimento sentido são o das mãos tremulas, que tenta tirar um cigarro do maço. Não basta ser viciada em dor, o que é estupido demais, eu tô fumando. Então a  órbita do planeta se desvia, levando a dor para outra dimensão. É difícil respirar, não sei pela fumaça que preenche o meu pulmão, ou se é a tristeza que sufoca.
O sangue ainda escorre pelo braço, a tonalidade vermelha na minha pele pálida. Mais um dia que eu não superei, porquê eu não sei lidar com as coisas, eu não sei lidar contra os meus vicios. E você tinha razão, não eu não posso controlar nada ao meu redor, pois não sei nem controlar meus impulsos, muito menos minhas emoções.