terça-feira, 8 de setembro de 2015

São tantos porquês, e nem um sinal seu.


Toda vez que escrevo, eu imagino estar falando com você, em cada texto fingo uma resenha com você, mesmo sabendo que não ira ler, pois uma vez me disse que não perdia tempo lendo o meu blog. Eu continuo fingindo mesmo assim, porque eu preciso expor um terço das coisas que eu ando sentindo. Você nem imagina o quanto essa casa é vazia e silenciosa sem ti, mesmo quando eu coloco as musicas que você gosta no volume máximo, reparei que a minha cama é grande demais para mim
dormir sozinha, as vezes sinto vontade de deitar em um cantinho no chão abraçada ao travesseiro, sem ao menos me dar ao luxo de dormir com uma peça de roupa sua, porque você levou todas embora. Sinto até vontade de assistir a filmes dublados, toda vez que coloco um legendado me lembro de você reclamando que não consegue ler e acompanhar a história ao mesmo tempo, acredito que você também leva essa falta de habilidade além de um filme, porque você não conseguiu ler os meus sinais e ao mesmo tempo me acompanhar.
 A semana tem demorado mais para passar, porquê antes eu ficava contando os dias até chegar a sexta-feira para te ver, e quando enfim chegava o fim de semana eu desejava que não terminasse nunca. Domingo quando você ia embora me doía um pouco, mas acordar na segunda com uma mensagem sua me ajudava a enfrentar a semana. Agora tudo o que eu faço é torcer para que os dias passem, que o fim de semana acabe logo, que o ano vire de uma vez, porque dizem que o tempo cura tudo. Mas eu me conheço e você me conhece, sabemos o que o tempo é capaz de fazer comigo, eu não esqueço as coisas, ao contrário eu revivo tudo em minha mente repetidamente, eu tenho essa mania sádica de viver a vida e lidar com as lembranças.
Também queria te dizer que eu não voltei a fumar, eu podia jurar que a partir do momento que você fosse embora definitivamente, a primeira coisa que eu iria fazer era comprar um maço. Não comprei, porque quando você saiu pela porta, minha vontade não era de fumar, eu tinha vontade de você.
As pessoas me dizem que preciso esperar, que ser for para ser Deus dá um jeito, você me disse o mesmo. Mas e se não for?



Ao som de: All i wanted.




Há cerca de um tempo venho reclamando sobre não conseguir escrever, como se fosse um tipo de bloqueio, mas que passou. Minha vontade de escrever voltou, só que da pior forma possível. Recuperei minha essência para escrita, e descobri que a semente é a minha dor.