quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Quando todas as táticas falham.



Você disse eu iria me acostumar, que tudo na vida é uma questão de se cansar dos excessos, mas eu decidi te cortar. Porque meu bem, você não sabe mas eu já tentei me acostumar com você só para ver se eu cansava, isso sempre acontecia comigo, a rotina me esmagava e eu me enchia de tudo e todos. Mas com você o resultado foi um vicio extremo pela tua pele macia e o cheiro do teu pescoço, eu não conseguia me livrar disso, eu quis ir embora, fugir, não era pra longe, apenas para a cidade ao lado, pelo menos não passaria pelos mesmos lugares, nem te encontraria fácil, mas você não deixou que eu fosse e eu me deixei levar, achando que seria a coisa certa, porque por diversas vezes eu acordava cedo, te olhava dormir e chorava muito, eu sabia que não conseguiria ficar longe nunca.
Deus sabe o quanto eu tentei me afastar, mas toda vez que você tocava no meu rosto eu deixava tudo de lado, em partes porque acreditava que um dia você poderia realmente se apaixonar por mim. Só que da ultima vez você me quebrou de verdade, destruiu qualquer expectativa e fez com que eu sentisse algo que nunca tinha sentido, não por você. Ódio.
Então decidi que não queria mais te ver, não mudei de cidade, só corri e me tranquei nesse quarto onde tudo lembra você, assistindo tudo que você não gosta e sendo tudo aquilo que você odeia, só para ver se alimentava mais o ódio e te esquecia.
Você faz do meu coração o seu carrossel, me pergunta se vai ser para sempre e que tá sendo difícil, fingo que acredito. A dificuldade nunca foi complicada para você, sua capacidade de superar o insuperável me causa inveja, quando eu não consigo nem deixar um cachinho da parte de cima do meu cabelo no lugar, quem dirá então a minha vida, não sei em que parte dela você se encaixa agora, mas tudo que passa aqui dentro ainda é sobre você.

Ao som de: Coeur de Pirate - Wicked Games