domingo, 25 de setembro de 2016

Quando a saudade não basta


Ao som de: Creep

Então vem você mais uma vez dizer que tem saudade e que ainda ama, depois de todos esses meses em que quase me convenci que estava tudo bem, vem você e me desconstrói inteira. Mas querido, teu romantismo barato não traz de volta o dinheiro que eu deixei no bar e nem as lagrimas que eu derrubei nos banheiros sujos das baladas.
Você diz: - Foi mal ter estado ausente, a vida tava corrida demais. Eu não pergunto com o que, porque não quero saber se teve outra, mesmo sendo obvio e nem te cobro nada, porque não vou voltar a mendigar atenção como sempre fiz, porque amor de verdade não precisa ser cobrado.
Suas desculpas não apagam os dias horríveis que eu tive e você não estava por perto. É 1:00 da manhã eu tenho a sensação de ter levado um soco no estômago, deve ser essa a sensação que dá quando a gente finalmente se toca que não era para ser, sabe? Porque mesmo que eu ainda morra de saudade a cada dia, eu já entendi que nunca foi, desde o começo e é uma droga admitir isso, mas é assim que a vida segue.